bebidas vegetais!!!

Nível de dificuldade

muito básico

Tempo de preparação

se contabilizarmos o processo todo, LONGO

Custo

muito barato

Desde Janeiro que não bebo leite de vaca a não ser em casos muito excepcionais.
Zero fundamentalismo, só aconteceu por acaso e explico-vos o acaso: logo aos primeiros dias de Janeiro embarquei para Berlim para trabalhar com a Filipa César na HKW, num projecto lindo. Como já é habitual, fiquei em sua casa e recentemente a sua Filha adolescente descobriu o veganismo e está, com a ajuda dos pais, a iniciar a sua dieta vegana. Isso inclui não consumir leite de vaca, logo não havia leite de vaca para os pequenos-almoços. Leite de amêndoa não é muito a minha cena, mas o leite de arroz é. Descobri assim que o café com leite de arroz sabe mesmo muito muito bem, muito melhor que o café com leite de vaca, e comecei a não comprar leite de vaca cá para casa.
Simples.

Porque penso muito nas embalagens dos produtos alimentares, tipo bananas biológicas embaladas em plástico ou doze morangos numa cuvete de plástico com um pouco de bubble wrap no fundo e mais plástico por cima, manga ou papaia ou figos (já vi) embalados naquela malha EPE, ou quatro pêras biológicas numa cuvete de isopor + celofane = __________ (preencher a gosto), penso sempre nos princípios do DIY que me chegaram por vias do punk e em como esses princípios fazem de mim uma pessoa melhor (ou pelo menos gosto de pensar assim). Portanto, act locally, think globally, e tenta então, Joana, reduzir o volume de embalagens que não fazem falta, por favor.
Não é em vão que me apresento em casa da Cristina com uma cesta de verga: estou a tentar influenciar nesse sentido.

Aos vinte e dois dias de Junho de 2019, perante um cenário de seca muito severa nas planícies alentejanas, mesmo após a histórica capa da Time com o Secretário-Geral da ONU, António Guterres, e com a predisposição que muitos dos seguidores e leitores já têm para estes assuntos, e é muito importante referir isto para dizer que, há uns anos atrás, antes das frases motivacionais do Instagram, associado ao boom de mariekondismo, as preocupações ambientais generalizadas e à ideia de que só não faz quem não quer, porque a mente motivada e fortalecida é que comanda a vontade, ninguém queria saber de nada.
Hoje posso dizer que dez horas depois de publicar nas stories do meu Instagram a imagem de duas garrafas com arroz e amêndoas de molho, respectivamente, acordei para uma caixa de mensagens bem recheada com perguntas.
Eestou mesmo feliz por poder partilhar convosco que não é por ter muito tempo livre que posso fazer as minhas bebidas vegetais. É porque gostava de ser um bocadinho melhor para o planeta que fica para os meus Filhos.

Seguem então duas receitas muito simples para produzirem as vossas bebidas vegetais!
Partilhem comigo tudo, taggem-me no Instagram, a ver se estou mesmo a influenciar ou se é só impressão!

Ingredientes

Para a bebida de AMÊNDOA

100 gr amêndoa com pele
2lt água
1 pau de canela (opcional)
baunilha em pó (opcional)
1 colher de chá de açúcar mascavado (opcional)

Para a bebida de ARROZ

1 chávena de café de arroz (do que preferir)
2 lt água
1 colher de chá de açúcar mascavado (opcional)
1 pau de canela (opcional)
1 estrela de anis (opcional)
1 pitada de baunilha em pó (opcional)

Modo de preparação

BEBIDA DE AMÊNDOA

  1. Numa garrafa, ponha de molho a amêndoa com o pau de canela e a baunilha; deixe de molho pelo menos por 12 horas;
  2. Após as 12 horas, coe a água das amêndoas, retire o pau de canela e lave muito bem as amêndoas;
  3. Triture as amêndoas com cerca de meio litro de água e acrescente a outra metade da água;
  4. Adicione o açúcar e mais um pouco de água e leve ao lume até levantar fervura; retire do lume e coe com a ajuda de um coador fininho, ou de um pano de linho;

Esta parte de coar demora e dá algum trabalho, mas vale muito a pena, porque a bebida fica macia e sem grumos. Pode e deve ser guardada no frigorífico e consumida num prazo de três a seis dias.
Pode guardar as amêndoas e usá-las para outras receitas.

BEBIDA DE ARROZ

  1. Demolhe o arroz, numa garrafa, de um dia para o outro, com um pau de canela e/ou a estrela de anis e/ou a baunilha em pó; deixe de molho por 12 horas;
  2. Após as 12 horas, transfira a mistura para uma panela, acrescente a água e a colher de açúcar e deixe ferver em lume brando por cerca de meia hora;
  3. Retire a canela e/ou o anis e triture com uma varinha mágica; coe o leite caso este não tenha ficado totalmente aveludado;

A bebida de arroz é mais fácil de confeccionar, e na minha modestíssima opinião, melhor. Pode ser aromatizada com a estrela de anis, a canela ou a baunilha e pode trabalhar-se a consistência da bebida, desdobrando-a com maior ou menor quantidade de água.

2 comentários a “bebidas vegetais!!!

  1. Obrigada pela receita e pela partilha das mesmas…vou fazer também não bebo leite de vaca e os leites de amendoa e arroz á venda no mercado têm muito açúcar…obrigada pela partilha de receitas sempre tão apelativas e saborosas…como pessoa embora não a conheça pessoalmente pare-me boa”gente”…como artista é de mão cheia…portanto obrigada por si Joana Barrios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *